Dicas de fotos > Fotografar as cores da folhagem de outono

    Nível: Iniciante

    LIÇÃO 16Fotografar as cores da folhagem de outono

    Distância focal: 85 mm (equivalente a 35 mm), f-stop: 3,2, velocidade do obturador: 1/800 seg.

    Por que não testar algumas técnicas de fotografia para capturar a beleza das árvores enfeitadas em vermelhos e amarelos? Ao fotografar a folhagem de outono, defina a câmera para o modo A para que você possa personalizar a abertura. De modo geral, se você deseja focar toda a cena, reduza a abertura e, quando quiser enfatizar e obter uma folha ou galho em primeiro plano, abra a abertura o máximo possível.

    Considerar a direção da luz

    Antes de definir a câmera, vejamos como aproveitar a luz. Ao fotografar folhas de outono, a imagem resultante varia muito, dependendo da direção da luz, da hora do dia e do tempo.
    Em um dia claro, a direção da luz pode ser geralmente categorizada como luz frontal, luz lateral e luz de fundo.

    Luz frontal

    A luz frontal incide na parte dianteira do objeto, como visto pela câmera. Com luz frontal, é possível capturar imagens coloridas que parecem tão naturais como as que você vê na cena. No entanto, como não há sombras, a luz tende a criar uma imagem comum, que carece de profundidade.

    Fotografar com luz frontal.
    Distância focal: 35 mm, f-stop: 10,0, velocidade do obturador: 1/50 seg.

    Luz lateral

    A luz lateral incide no objeto pelo lado. Fotografar com luz lateral acrescenta profundidade à paisagem graças às sombras das árvores. Ao fotografar durante o anoitecer, não se esqueça de tentar capturar a imagem usando luz lateral.

    Fotografar com luz lateral.
    Distância focal: 200 mm, f-stop: 8,0, velocidade do obturador: 1/60 seg.

    Luz de fundo

    A luz traseira incide no objeto por trás. Quando a luz de fundo brilha através das folhas, ele acrescenta translucidez e cores ricas, parecendo que elas estão brilhando nas fotografias. A diferença no contraste de um objeto retroiluminado contra um plano de fundo escuro expressa drama, portanto, use a luz de fundo de forma eficiente.
    Quando você usa luz de fundo, o contraste e a saturação da imagem podem diminuir se a luz do sol entrar diretamente na lente. Se isso acontecer, ajuste o ângulo da câmera para a luz solar ou as folhas de modo que a luz solar não incida diretamente na lente. Além disso, quando uma luz forte incide na lente, os objetos tendem a ficar escuros. Se o objeto parecer escuro ou não tão vívido como você tinha imaginado, aumente a compensação de exposição para + para obter o mesmo brilho visto a olhos nus.

    Fotografar com luz de fundo.
    Distância focal: 11 mm, f-stop: 14,0, velocidade do obturador: 1/30 seg.

    Quando a luz de fundo incide diretamente na lente

    Utilize essa técnica para fotografar em diversos tipos de luz, levando em consideração a posição da câmera em relação ao sol.
    Não espere por dias ensolarados para poder fotografar folhagem de outono. Você pode capturar expressões diferentes em dias nublados e chuvosos também. Em um dia nublado, as cores podem não ser tão vívidas como em dias ensolarados, mas a cena inteira está envolta em uma luz suave, expressando serenidade, sem sombras indesejadas.

    Foto em dia nublado.

    Foto em dia chuvoso. Distância focal: 115 mm, f-stop: 11,0, velocidade do obturador: 1 segundo.

    Fotografar em dia chuvoso.
    Distância focal: 115 mm, f-stop: 11,0, velocidade do obturador: 1 segundo.

    Se você incluir um céu nublado ou chuvoso na composição, o branco do céu terá destaque, e a imagem obtida normalmente terá uma aparência convencional. Se isso acontecer, capturar apenas a paisagem sem incluir o céu pode dar maior destaque às principais cores do outono, produzindo uma imagem impressionante.

    Capturar o que você vê

    Capturar a folhagem de outono como vista a olho nu exige não só a direção certa da luz, mas também o ajuste do brilho e da cor usando as definições da câmera. Embora a câmera calcule automaticamente o brilho e a cor adequada, os resultados podem não corresponder à imagem que você deseja capturar ou à impressão que você está sentindo. Se você estiver com dificuldades para capturar o que vê, tente ajustar a compensação de exposição e o equilíbrio de branco. A imagem que expressa exatamente o que você vê tem as cores e o brilho adequados.
    Os ajustes necessários variam de acordo com a direção da luz, as condições climáticas e o objeto. Eles serão apresentados aqui, usando diversos exemplos. Durante a captura real, faça os ajustes enquanto visualiza os resultados no monitor da câmera enquanto continua a capturar uma imagem atrás da outra até obter a imagem desejada.

    Uso da compensação de exposição

    Compensação de exposição: 0

    Compensação de exposição: +2,0

    Se o fundo estiver brilhante devido à luz de fundo, a folhagem poderá parecer escura e pesada. Se isso acontecer, ajuste a compensação da exposição para + para tornar as cores da folhagem mais vívidas. Você pode ajustar o fundo para que ele apareça um pouco superexposto.

    Uso do equilíbrio de branco

    WB automático

    WB nublado

    O equilíbrio de branco pode ser usado de forma eficaz para enfatizar a vivacidade. Ao fotografar em um dia nublado ou na sombra, definir o equilíbrio de branco para [Nublado] pode aumentar, de maneira geral, os vermelhos da imagem e fazer com que os vermelhos e amarelos na folhagem de outono pareçam mais vívidos. Ajustar o equilíbrio de brancos também é eficaz para fazer ajustes detalhados nas cores.
    Ao fotografar paisagens ou fazer instantâneos, você pode ficar tentado a aumentar a saturação com Estilo Criativo para aumentar ainda mais a vivacidade. Entretanto, como a saturação original da folhagem de outono já é elevada, isso pode acabar saturando a cor e a imagem pode perder profundidade, portanto, essa técnica não é recomendada.

    Aumentar a saturação pode supersaturar vermelhos e tornar a imagem mais rasa.

    Em vez de aumentar a saturação, tente ajustar a compensação de exposição e o equilíbrio de brancos.
    Certamente, cor é uma preferência pessoal, portanto, não há escolha certa ou errada. Como mostrado na figura abaixo, o equilíbrio de brancos pode ser usado para adicionar azuis a uma captura em um dia nublado para expressar uma sensação de frio e tranquilidade.

    WB Luz do dia em um dia nublado

    Fotografar com várias composições

    Após conseguir controlar a cor e a vivacidade, você pode querer alterar a composição para criar várias expressões da folhagem de outono.

    Várias lentes para várias expressões

    Como mostrado abaixo, o método de captura difere completamente entre usar uma definição grande angular e usar uma definição teleobjetiva, mesmo para o mesmo cenário. Grande angulares criam imagens inspiradoras e os ângulos da teleobjetiva aproximam você do objeto e criam desfocagens. Ao usar várias lentes para otimizar as capturas de diversos ângulos, você pode expressar mais as qualidades da folhagem de outono.

    Captura grande angular, distância focal: 18 mm, f-stop: 8.0.

    Captura em ângulo de teleobjetiva, distância focal: 90 mm, f-stop: 8.0.

    Captura em grande angular

    Ao fotografar com uma grande angular (distância focal curta), você pode enquadrar uma paisagem panorâmica na imagem, mas também pode criar expressões dinâmicas que enfatizam ainda mais a perspectiva e a altura. Ocorre também pouca desfocagem, de modo que os objetos por toda uma ampla área podem permanecer em foco. Para enquadrar toda a paisagem em uma vista, defina a abertura entre f8.0 e f11.

    Distância focal: 11 mm, f-stop: 8,0, velocidade do obturador: 1/25 seg.

    Essa imagem foi capturada com uma lente grande angular voltada para cima. Ela enfatiza a altura das árvores que se estendem para cima a partir da esquerda, criando uma imagem inspiradora.

    Distância focal: 11 mm, f-stop: 10,0, velocidade do obturador: 1/60 seg.

    Aqui nos aproximamos da vivacidade das folhas de outono. O contraste das folhas contra a vasta extensão do fundo cria uma foto dinâmica. Assim, as propriedades da grande angular destacam o objeto com um contraste do primeiro plano para o plano de fundo. Além disso, ao fechar a abertura para f10, o fundo pode ser bem representado sem uma desfocagem excessiva.

    Captura com um ângulo de teleobjetiva

    Com uma lente teleobjetiva (distância focal longa ao usar uma lente de zoom), o fundo do objeto pode ser bastante desfocado e suas partes impressionantes podem ser trazidas para a frente para se destacar da paisagem que atravessa a montanha distante. Uma lente teleobjetiva também é boa para criar um efeito de compressão que inclui tudo em uma imagem sem perder a perspectiva das montanhas alinhadas ao fundo nem do cenário em primeiro plano.

    Distância focal: 200 mm, f-stop: 3,2, velocidade do obturador: 1/80 seg.

    Aqui, uma lente teleobjetiva foi usada para capturar as cores de outono. O primeiro plano e o plano de fundo foram belamente desfocados. Quanto mais você aproximar a definição teleobjetiva, menor será o intervalo de foco e mais o fundo será desfocado, destacando as folhas da folhagem de outono. Para aumentar a quantidade de desfoque, fotografe utilizando a abertura da forma mais ampla possível.
    Ao fotografar este tipo de imagem, preste atenção à cor do fundo. A foto acima foi capturada em um ângulo onde as folhas amarelas estão no fundo e toda a imagem cria uma impressão vívida.

    Distância focal: 160 mm, f-stop: 8,0, velocidade do obturador: 1/60 seg.

    Ao encontrar um belo cenário, tendemos a tentar enquadrar tudo o que vemos na imagem. Alguma vez você já capturou uma imagem, mas não conseguiu capturar o que estava sentindo? Isso é porque você acaba capturando elementos desnecessários e inesperados na foto, criando uma distração. Ao invés de simplesmente apontar a câmera sem mirar para área ampla, tente encontrar a parte mais impressionante do cenário e destacá-la com uma definição teleobjetiva. Na foto acima, o foco recaiu significativamente sobre a área com a mais bela folhagem de outono.

    Distância focal: 150 mm, f-stop: 11,0, velocidade do obturador: 1/4 seg.

    A captura com teleobjetiva também é boa para retratar uma imagem comprimindo a profundidade do cenário. Embora as árvores amarelas em primeiro plano, as coníferas mais atrás e as montanhas ao fundo estejam separadas por vários quilômetros, foram fortemente comprimidas em conjunto para criar uma imagem impressionante.

    Criar expressões com diversos pontos de vista e ideias

    Fotografar folhagens de outono não é apenas capturar árvores e folhas como seus objetos. Incorporar córregos de montanhas, lagos e outros cenários circundantes podem tornar a folhagem de outono mais atraente e as folhas caídas, por si só, podem criar a expressão de uma paisagem de outono. Tente capturar várias composições de vários objetos usando uma perspectiva ampla, e aproveite a liberdade de capturar imagens de folhagens de outono.

    (1) Distância focal: 50 mm, f-stop: 2,8, velocidade do obturador: 1/8 seg.

    (2) Distância focal: 70 mm, f-stop: 7,1, velocidade do obturador: 1/160 seg.

    (1) Uma imagem de folhas caídas flutuando na superfície de uma poça a seus pés significa o fim do outono. A folhagem de outono é mais do que meras árvores banhadas em vermelho carmesim. Mesmo após o pico da folhagem de outono, o outono é evidente em qualquer lugar.
    (2) Mesmo gotas de água sobre folhas caídas evocam um sentimento de outono.

    Distância focal: 35 mm, f-stop: 10,0, velocidade do obturador: 1/15 seg.

    Lagos, lagoas e rios, que muitas vezes são coadjuvantes da folhagem de outono e das árvores, algumas vezes são os atores principais. Preste atenção também à maneira como as árvores coloridas são refletidas na superfície da água.

    Testando lentes grande angulares

    Número F: 8/velocidade do obturador: 1/100 seg.

    Esse zoom ZEISS Vario-Tessar® Full Frame de 16 a 35 mm de montagem tipo E oferece excelente desempenho em um pacote compacto e leve. Um intervalo de zoom versátil, em conjunto com a estabilização de imagem óptica integrada, faz com que ele seja ideal para instantâneos, cenas em ambientes fechados, capturas de grupos, paisagens e muito mais, principalmente com uma estrutura Full Frame da série α7. Uma abertura máxima constante de F4 facilita o controle da exposição e da profundidade de campo.